{Helena Boba}

Artesã de Palha do Projeto Ará – CE

Dona Boba é uma entusiasta no que faz. Faz um bolo de milho delicioso, com a mesma desenvoltura com que mexe com a palha de carnaúba, seu ofício principal. Esse ano, ela vai ser avó. É do Projeto ARÁ, de Aracati. 


Região: Cabreiro – Aracati – CE, Brasil

Grupo: Projeto Ará

Tipologia: Palha de Carnaúba


{Região Fortaleza}

Estado do Ceará | Brasil

Nº de Habitantes: 74.547

Bioma Caatinga

Trabalho e rendimento: A economia conta com sua base na agricultura, no cultivo do caju, coco-da-baía, cana-de-açúcar, mandioca, milho, feijão e carcinicultura (criação de camarões em cativeiro). Agropecuária: bovino, suíno e avícola e Turismo.

População ocupada: 15,2% da população

Percentual da população com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo: 48,8%

Indice de Desenvolvimiento Humano Municipal (IDHM): 0,655

Território e Ambiente: Apresenta 4.5% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 82.9% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 1.6% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio)

 


 

+Grupo de Artesãs de Palha do projeto Ará – Dona Boba (Aracati)

Aracati, onde está o grupo de Dona Boba, é um dos municípios do Ceará com mais saberes manuais organizados em grupos. Com Dona Boba, outras 60 mulheres se dedicam ao trançado da palha, todas do distrito de Serrote, uma das localidades envolvidas no Projeto ARA, uma parceria da Catarina MImna com a Prefeitura de Aracati.

Dona Boba sabe trançar, fiar, gerir encomenda, fazer negócio. Sabe a história de Aracati de cor e salteado, terra onde nasceu e cresceu.

{+ sobre o projeto #umaconversasincera}

Se a base do nosso trabalho é a conversa, ela não pode acontecer só da porta pra dentro. Conversa que é boa transpõe a janela, faz caminho pra outra freguesia.

#umaconversasincera é quando: você sabe quem faz sua bolsa, fio a fio dos charms, quem passa a corrente, costura o forro. Você sabe quem desenha, inventa, fotografa, escreve, manda bolsa pra Camila, Nicole, Bia, Thay, torce pra que elas usem a marca e queiram a causa do artesanato pra si. Você sabe quem faz a newsletter, a produção. Você sabe quem lá em Itaitinga junta gente ao redor e ensina a arte de enlinhar, de entrelaçar, o bordado, a tapeçaria, a costura manual. Quem do Morro Santa Terezinha vê o movimento de casa, enquanto faz a receita no caderno do crochê. Você sabe quem embala. De quem são as unhas vermelhas nas fotos, quem está por trás do acompanhamento dia a dia. Você sabe tudo sem perguntar a ninguém, temos os custos abertos. É por isso que todo mundo (colaboradores, artesão e consumidores) é um pouco sócio da Catarina Mina, canta junto, faz ciranda. Apostar nessa ideia faz da gente um de vocês, faz de você um dos nossos. Então a proposta é que nos próximos dias mais do que nunca, você junto com a gente faça parte desse projeto.

{Nossos valores}

# Custos Abertos + Transparência
# Produto Artesanal
# Compre do pequeno
# Respeito na produção
# Economia afetiva
# Feito no Brasil
# Pensamento em rede
# Consumo consciente
# Eco-friendly
# Design atemporal
# Valorização da cultura local