{Maria de Fátima de Oliveira Silva}

Artesã de Palha do Projeto Ará – CE

Fatinha é família! Ao redor de seus olhos da cor dos verdes mares, acolhe a todos com amor, agrega artesãos de perto e de longe. Fatinha é filha, é mãe, é irmã. A palha de carnaúba é seu saber do coração! É do nosso Projeto ARÁ, de Aracati. 


Região: Jirau – Aracati – CE, Brasil

Grupo: Projeto Ará

Tipologia: Palha de Carnaúba


{Região Aracati}

Estado do Ceará | Brasil

Nº de Habitantes: 74.547

Bioma Caatinga

Trabalho e rendimento: A economia conta com sua base na agricultura, no cultivo do caju, coco-da-baía, cana-de-açúcar, mandioca, milho, feijão e carcinicultura (criação de camarões em cativeiro). Agropecuária: bovino, suíno e avícola e Turismo.

População ocupada: 15,2% da população

Percentual da população com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo: 48,8%

Indice de Desenvolvimiento Humano Municipal (IDHM): 0,655

Território e Ambiente: Apresenta 4.5% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 82.9% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 1.6% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio)

 


 

+Grupo de Artesãs de Palha do projeto Ará – Fatinha 

Fatinha aprendeu a tecer a palha com a mãe, matriarca de um importante grupo de palha do município de Aracati. Recentemente, depois do falecimento da mãe e em honra de sua história, resolveu assumir para si a função outrora assumida por ela: a de articuladora de um grupo que envolve mais de 60 mulheres no tecer da palha de carnaúba. Hoje diz que faz isso pelas mulheres do distrito de Jirau, em Aracati. O grupo de Fatinha é parte do Projeto ARÁ, oficina Catarina Mina em parceria com a Prefeitura Municipal de Aracati.

{+ sobre o projeto #umaconversasincera}

Se a base do nosso trabalho é a conversa, ela não pode acontecer só da porta pra dentro. Conversa que é boa transpõe a janela, faz caminho pra outra freguesia.

#umaconversasincera é quando: você sabe quem faz sua bolsa, fio a fio dos charms, quem passa a corrente, costura o forro. Você sabe quem desenha, inventa, fotografa, escreve, manda bolsa pra Camila, Nicole, Bia, Thay, torce pra que elas usem a marca e queiram a causa do artesanato pra si. Você sabe quem faz a newsletter, a produção. Você sabe quem lá em Itaitinga junta gente ao redor e ensina a arte de enlinhar, de entrelaçar, o bordado, a tapeçaria, a costura manual. Quem do Morro Santa Terezinha vê o movimento de casa, enquanto faz a receita no caderno do crochê. Você sabe quem embala. De quem são as unhas vermelhas nas fotos, quem está por trás do acompanhamento dia a dia. Você sabe tudo sem perguntar a ninguém, temos os custos abertos. É por isso que todo mundo (colaboradores, artesão e consumidores) é um pouco sócio da Catarina Mina, canta junto, faz ciranda. Apostar nessa ideia faz da gente um de vocês, faz de você um dos nossos. Então a proposta é que nos próximos dias mais do que nunca, você junto com a gente faça parte desse projeto.

{Nossos valores}

# Custos Abertos + Transparência
# Produto Artesanal
# Compre do pequeno
# Respeito na produção
# Economia afetiva
# Feito no Brasil
# Pensamento em rede
# Consumo consciente
# Eco-friendly
# Design atemporal
# Valorização da cultura local