Olê, um olhar sobre o bilro, a renda do Ceará.

Centenas de mulheres debruçadas sobre a beleza

e a complexidade de uma amolfada.

Aqui contamos a história de cada Rendeira.

Toda peça do projeto virá assinada pela Rendeira que fez

e terá um QR code no qual você poderia ver mais que a assinatura,

também um pouco da história da mulher por traz da peça pronta.

Maria Conceição de Sousa

Maria da Conceição desenvolveu sua paixão pela almofada e pelas rendas desde cedo, através da ajuda de sua mãe.

Joana Darc Furtado Teixeira

Joana é comunicativa e atenciosa, fala com amor e firmeza sobre a renda de bilro e sobre sua importância cultural.

Antônia Furtado

Antônia faz renda desde de pequena, aprendeu com sua mãe. Hoje o bilro é sua fonte de renda e sua paixão.

Maria Ecilda de Sousa

Maria Elcida começou sua paixão pela renda bem nova, com apenas 12 anos, sua prima lhe ensinou boa parte do que ela sabe hoje.

Maria Amélia Furtado Uchoa

Dona Santinha como é conhecida por amigos e familiares, nascida e criada no córrego dos Furtados faz renda desde sua mocidade.

Geyvila Cauany de Sousa Furtado

Mesmo ainda sendo muito nova Geyvila já carrega anos de experiencia na renda de bilro, sempre acompanhada de sua mãe.

Maria Celeste Furtado Sena

A mãe de Maria Celeste foi a responsável por ensiná-la o trabalho com as almofadas desde cedo, Celeste faz um trabalho lindo com o bilro.

Celeste Oliveira

Celeste Furtado começou o trabalho com as rendas através de sua mãe, quando tinha apenas 10 anos, e desde então nunca mais largou a almofada, o que resultou em um trabalho cheio de experiência e afeto.

Francisca Aline Furtado Magalhães

Francisca Aline é mais uma da geração de rendeiras na família. Aprendeu com a mãe, dona Santinha a rendar.

Maria Alice Furtado Rodrigues

Maria Alice aprendeu a rendar muito cedo, aos 10 anos sua mãe começou a lhe ensinar como manusear a almofada e desde então o amor pelo bilro só cresceu.

Rita Furtado de Oliveira Moura

Ritoca, como é conhecida em Córrego dos Furtados, faz um trabalho caprichoso nas rendas e na sua casa também, já que no tempo livre ela gosta de arrumar seu lar.

Francisca das Chagas Oliveira Sousa

Francisca das Chagas Oliveira aprendeu a rendar com 10 anos, junto a suas irmãs. Desde então, o amor pelo bilro só cresce, e o capricho no trabalho também.

Maria Genicléia Furtado Oliveira

Maria Genicléia começou a fazer renda com apenas 12 anos através de sua mãe, e até hoje as duas trabalham juntas na almofada.

Jocilane Furtado da Costa

Josilane Com apenas 12 anos, sua mãe começou a lhe ensinar o ofício e ela nunca mais parou. Hoje aos 24, ela apresenta um trabalho muito bonito e delicado com o bilro.

Maria Gracineide

Maria Gracineide gosta sempre de lembrar com sorriso no rosto que foi sua mãe que lhe ensinou a rendar, quando ela tinha apenas 8 anos.

Leonor Furtado Costa

Leonor Furtado começou a rendar com 12 anos, seu trabalho delicado vem de alguns anos de experiência, que ela agora faz questão de passar para sua nora.

Antônia Rosimelía Furtado Sena

Antônia Rosimelia mora no Córrego dos Furtados, seu belíssimo trabalho hoje é reflexo dos ensinamentos de sua mãe.

Terezinha Farias Araujo

Terezinha é do Serrote e não cansa de falar do seu amor pelo Bilro, considera a almofada mais que sua profissão, encontrou na renda sua força e talento,e se orgulha de ser Rendeira.

Maria Ivone Moreira Braga

Ivone é a liderança do grupo Serrote, prestativa e atenciosa sempre com um belo sorriso ela trabalha na sua almofada criando peças de bilro incríveis.

Maria Andorina Farias Jorge

Sempre com um belo sorriso no rosto Dona Andorina é pura alegria e energia, seu amor é refletido na sua renda que é de detalhes impecáveis.

Antônia Farias de Oliveira

Mulher, mãe e rendeira, Dona Antônia na hora de fazer renda não tem timidez sempre com muita atenção aos detalhes faz da renda uma obra de arte.

Antonia Furtado

Antônia faz renda desde de pequena aprendeu com sua mãe, hoje o bilro é sua fonte de renda e sua paixão que ajudou a criar seus três filhos.

Geyvila Furtado

Ela é pura energia e carisma, rendeira de bilro de mão cheia.

Dona Santinha

Faz renda desde sua mocidade, amor que veio de mãe pra filha, sua primeira peça de renda foi uma almofada.

Antonia Furtado

Antônia faz renda desde de pequena aprendeu com sua mãe, hoje o bilro é sua fonte de renda e sua paixão que ajudou a criar seus três filhos.

Geyvila Furtado

Ela é pura energia e carisma, rendeira de bilro de mão cheia.

Dona Santinha

Faz renda desde sua mocidade, amor que veio de mãe pra filha, sua primeira peça de renda foi uma almofada.

Antonia Furtado

Antônia faz renda desde de pequena aprendeu com sua mãe, hoje o bilro é sua fonte de renda e sua paixão que ajudou a criar seus três filhos.

Geyvila Furtado

Ela é pura energia e carisma, rendeira de bilro de mão cheia.

Dona Santinha

Faz renda desde sua mocidade, amor que veio de mãe pra filha, sua primeira peça de renda foi uma almofada.

Antonia Furtado

Antônia faz renda desde de pequena aprendeu com sua mãe, hoje o bilro é sua fonte de renda e sua paixão que ajudou a criar seus três filhos.

Geyvila Furtado

Ela é pura energia e carisma, rendeira de bilro de mão cheia.

Dona Santinha

Faz renda desde sua mocidade, amor que veio de mãe pra filha, sua primeira peça de renda foi uma almofada.